Buscar
  • BR Quantec PRO

Catarses

Atualizado: 19 de mar. de 2019


Catarses

Ao fazer um tratamento com o Quantec, quanto mais desajustado o ser estiver, maiores e mais intensas serão as catarses.


Mas o que são as catarses?


Na religião, medicina e filosofia da Antiguidade grega, "catarse" significava libertação, expulsão ou purgação do que é estranho à essência ou à natureza de um ser e que, por isso, o corrompe.


Em um tratamento com o Quantec, o sentido das catarses é o mesmo.


Vivemos nossa vida e vamos acumulando impregnações mentais, mágoas, decepções, crenças distantes das que deveríamos ter, e uma série de padrões negativos que nos impedem de alcançar o que almejamos.


Quando iniciamos um tratamento com o Quantec, estamos como que acionando um recurso que vai remover de nosso campo mórfico, aquilo que não faz verdadeiramente parte de nossa essência divina.


Entretanto, este processo causa desconforto, porque os elementos deletérios ou os radicais livres psíquicos que não querem ser arrancados de nós, serão removidos. E neste processo de remoção, eles se debatem, reclamam, nos atacam, porque não querem perder o “hospedeiro”. Antes, anseiam por continuar a sugar do indivíduo as melhores oportunidades.


Em casos onde há uma obsessão espiritual que se aproveita dos baixos padrões de vibração do assistido, por exemplo, quem vai brigar contra a intervenção saneadora do Quantec serão as inteligências invisíveis que em algumas situações, já escravizaram o ser. Não querem que ele se liberte, e portanto, vão inserir no campo mental do assistido ideias de que o tratamento está é causando mal, quando na verdade, eventuais sensações de mal estar de diversas matizes são apenas a confirmação de que a “limpeza” ou o ajustamento estão sendo feitos com absoluto sucesso.


Ou seja, ao se submeter a um tratamento com o Quantec, o indivíduo deseja melhorar ou alcançar desejos. Só que para isso, em alguns casos, não conseguirá essa melhora ou a realização dos desejos se não se livrar do que está atrapalhando seu caminhar. Para se livrar disso, é preciso extirpar do campo vibratório do assistido alguns padrões informacionais que corrompem, de modo a proporcionar libertação, de modo a realizar a expulsão do que não deve estar no subconsciente, para que isso não corrompa mais a vida. Na prática, pode ser que em alguns momentos assistido se sinta mal.


Como?


Podem surgir momentos angustiosos, sensações de tristeza e dependendo do grau de arraigamento de um determinado padrão corrosivo já profundo no ser, podem haver até momentos de um certo desespero, raiva, nervosismo, pânico ou revolta.


Pense em um usuário de drogas que vai para uma clínica de reabilitação onde o primeiro passo é passar pelo período de abstinência: a pessoa pode entrar em estados conturbadas e profundamente perturbadores, porque o vício quer mais daquilo que ele não está consumindo. E até esse processo de abstinência realizar o trabalho de fazer o organismo entender que não precisa mais da droga, o indivíduo padece dos males da abstinência. Eles só passarão quando o organismo estiver completamente desintoxicado.


Da mesma forma ocorre com as catarses: é um mal estar necessário para desintoxicar o psiquismo e o psicossoma do ser, até ter reais condições de proporcionar bem estar. Quanto mais intoxicado o campo mórfico, mais catarses para o desintoxicar.


Há assistidos que não sentem nenhum tipo de catarse; são os que já estão no caminho, ou os que já não possuem crenças destoantes com o caminho que vieram trilhar ou com os desejos que buscam alcançar.


Há outros que sentem poucas catarses; são os que estão em um caminho não muito distante do adequado.


E há os que sentem catarses intensas; são os que precisam do mais intenso auxílio, onde o tratamento está resgatando a pessoa de um caminho muito distante daquele que o indivíduo deveria estar trilhando, o que, consequentemente, vai gerar uma demora maior no processo de harmonização.


A única forma de evitar catarses é simplesmente interromper o tratamento. Não há meios de ajustar o tratamento para evitar as catarses, pois elas são partes necessárias do processo de harmonização.


Quanto mais difícil a limpeza, mais incômodo ela vai causar. Quanto mais difícil uma obra de reforma, mais transtorno ela vai causar. Quanto mais devastador tiver sido o furacão, mais trabalho ele vai gerar para tornar as coisas ao lugar de harmonia em que um dia se encontraram.


No entanto, entenda: se você inicia um tratamento com o Quantec e ocorre consigo alguma catarse, faz parte do processo e não representa nenhum mal real. É como lançar água sobre uma fogueira ardente: o fogo se apaga, mas a fumaça sobe e nos faz arder os olhos, às vezes até nos fazendo crer que o fogo piorou, quando na verdade aquele é um sinal de que ele foi apagado.


Um ponto importante contudo é não achar que qualquer reação negativa seja uma catarse. Há pessoas que precisam passar por experiências mais difíceis para sua própria evolução ocorrer dentro de um programa de aprendizado próprio, e muitas vezes se confundirá a necessidade de se passar por esses momentos mais dificultosos, com catarses. Como o Quantec não tem nenhum recurso que informe se aquele desconforto especifico é ou o que não é catarse, é preciso usar o bom senso: o que estou vivendo faz parte do meu processo de aprendizado? Se sim, não terá nada a ver com o Quantec, e consequentemente, não será uma catarse. Já se os ventos sopram favoráveis, e ainda assim os incômodos acontecem, então provavelmente serão catarses.


Por exemplo: vamos supor que em seu relatório de emanações, o Quantec informe que é da natureza pessoal de desafios do assistido, lutar contra o nervosismo. Ou seja, a pessoa já tem aquela tendência por natureza. Se o mal sentido durante o tratamento for a ampliação do nervosismo da pessoa, não é então uma catarse, mas sim, a necessidade de exercitar a mansidão.


Na maioria dos tratamentos que realizamos, destacamos em vermelho nos relatórios, aqueles itens que fazem parte da responsabilidade do assistido, a exemplo das mudanças comportamentais que precisa assumir para ter uma vida mais plena. Se o indivíduo ignora essa parte do relatório, e se sente mal durante o tratamento com alguma questão relacionada à essas orientações, não é catarse, e sim, a necessidade de exercitar aquele aprendizado.


Outro caso em que não se deve fazer associações com catarses é a pessoa que por exemplo já tem a tendência a crises de pânico ou à ataques epiléticos, e ao iniciar o tratamento essas crises não se interrompem: não se trata de catarse, mas sim, de um processo que já faz parte do individuo e que, se foi informado no momento de preenchimento da Anamnese, certamente estará sendo tratado para a solução ou abrandamento gradual da questão.


Já se o que a pessoa sente é um mal psíquico ou emocional, desespero, sensações ruins que vem do nada, mal estar que surge sem razão aparente, noites mal dormidas, pesadelos, momentos de baixas energéticas, e não há nenhum item no relatório que aponte a necessidade de uma mudança comportamental relacionada àquelas questões emocionais e psíquicos, provavelmente é uma catarse.


A única forma de saber contudo com absoluta certeza se a questão se trata ou não de uma catarse é interromper o tratamento, o que não recomendamos, já que seria o mesmo que parar uma reforma só para ter certeza de que a poeira dessa reforma está incomodando. E se estiver? Vamos então parar a reforma no meio porque não queremos mais a poeira? Mas se a poeira faz parte dos contingentes da reforma, vamos então preferir não passar pelo incomodo da poeira e não reformar nossa casa interior?


Se este for um desejo do assistido, tudo bem. O tratamento pode ser interrompido tão logo ele nos solicitar. Mas quanto mais se persistir no tratamento, mais rápida a reforma é feita, desde que, é claro, a pessoa faça sua parte.


Uma coisa é certa: desde o início de cada tratamento, deixamos claro em um informe inicial com todo o detalhamento a respeito do processo de harmonização com o Quantec, que as catarses podem acontecer, e na maioria das vezes elas acontecem nos seres que não estão no caminho que vieram trilhar no mundo.


O gosto do remédio da catarse é amargo. Mas é aquele remédio que vai proporcionar a cura. Um exemplo é uma quimioterapia: demora a fazer efeito, causa um profundo mal estar, mas é ela que se figura como a melhor chance de curar o câncer.


Quanto mais distante da harmonização o assistido estiver, quanto mais “fora do lugar” as peças do quebra cabeças da vida do ser estiverem, maiores serão as chances de catarses, mas elas vêm para expurgar a antimatéria que prejudica o indivíduo, e não para causar um mal real.


O tratamento com o Quantec não tem contra indicações, logicamente, não causa nenhum mal. O que pode causar o mal estar ou as reações negativas é exatamente o processo de colocar as coisas no lugar para que o paciente atinja aquilo que está descrito nas afirmações iniciais do relatório. Em casos em que as coisas estão muito fora do lugar, a catarse é inevitável, porque como em todo processo de cura e harmonização, é natural que o indivíduo que tenha ficado imerso no pântano detido por muitos meses ou anos - quando não décadas - se sinta incomodado com os jatos de água limpa que objetivam remover-lhe as crostas de sujeira que podem já ter penetrado profundamente na pele. Assim, quanto mais profunda for uma desarmonia, mais incômodo haverá para que ela seja extirpada.


Dessa forma, ao fazer um tratamento com o Quantec, o indivíduo está sujeito à catarses. Não querer passar por elas é natural, pois não gostamos de vivenciar incômodos. Mas se acontecerem, serão o remédio amargo sem o qual a harmonização dificilmente acontecerá. O assistido pode solicitar a interrupção do tratamento à qualquer momento se não desejar vivenciar os efeitos de uma catarse, mas igualmente precisará abrir mão do benefício do processo de harmonização, o que seria semelhante ao paciente que depois das primeiras doses de remédio, prefere não mais o tomar: cessa o gosto amargo, mas também cessam as chances de curar a doença, quando não, o ato cria resistência no sistema imunológico que, posteriormente, precisará de uma dose maior do remédio caso o paciente volte a buscar a cura.


Acredite: os benefícios de uma harmonização completa, independente do tempo que ela levará para ocorrer, são maiores do que os incômodos das naturais catarses. Elas - as catarses - são apenas sinais de que os reparos psíquicos, energéticos e espirituais, estão sendo realizados com efeito, mesmo que os radicais livres deletérios ou inteligências invisíveis de baixa vibração não queiram que o processo aconteça.


A catarse é o choque necessário entre a realidade de ilusão que o ser pode estar vivendo, e a realidade de verdadeiras possibilidades de plenitude que pode vir a viver. E o psicossoma sente. É, em última instância, a evolução que ocorre através de algum processo de dor, para o bem maior do amor.